sábado, 22 de junho de 2013

COSMOLOGIA ENERGÉTICA & ASTROLOGIA


— Se você estivesse em outro planeta, veria o céu do mesmo jeito que vê daqui?  — perguntei a uma criança de 7 anos, aluna da Escolha Conhecimentos Inexatus, em São Thomé das Letras-MG, espaço alternativo idealizado por Mestre Juan.

— Não! — respondeu ela, surpreendendo-me e, ao mesmo tempo, comprovando a eficácia das aulas, onde aprendeu que as estrelas que formam as constelações consideradas na Astrologia não estão dispostas lado a lado, como são vistas da Terra.

Da mesma forma que as pessoas têm visões diferentes dependendo de sua posição, seja ela física ou resultado das elucubrações de sua mente, ou viagens de seus sentimentos, estudos realizados ao longo da história da humanidade, mesmo aqueles que compõem grandes teorias e tratados, baseiam-se em determinados pontos de vista, cada um abarcando uma pequena fração da multiplicidade do universo.

Na Astrologia tradicional, existem planetas e configurações maléficos e benéficos, enfoque adequado a este mundo dual para selecionar o que possa servir ao sucesso de algum empreendimento, reunir pessoas cujos valores se compatibilizem com este ou aquele modo de ser e viver.

Algumas servem. Outras são eliminadas, ou permanecem à margem.

No mapa astrológico, é possível detectar pontos fortes e fracos, ferramentas de cada pessoa e orientar a melhor forma e momento para transpor os obstáculos, identificando formas e posicionamentos que dizem como deve ser para que funcione, produza efeitos sob este céu sobre a nossa cabeça.

O homem constrói naves, descobre a existência de infinitos corpos celestes, diferentes abordagens para a própria Astrologia surgem, porém, é mantido o formato milenar utilizando os simbolismos, validado através dos tempos pela contribuição ao conhecimento da psique e dos mecanismos vigentes. É um método extremamente útil para saber como viver neste mundo.

A Cosmologia Energética traz uma abordagem diferente e complementar. Foi revelada inicialmente a seres que, embora considerados selvagens, sonhavam, tinham visões, viajavam além do corpo e do espaço, conforme cada vez mais se descobre ser natural e divino na espécie humana. Diz o que é cada energia, sua programação evolutiva através do cosmos, expressa pelos graus e relações que fazem.



Como são representadas as energias e suas relações

Para aqueles que aqui se sentem excluidos, deslocados, desmotivados, o Mapa Cosmológico pode mostrar o caminho da luz, cuja visualização e compreensão implicam em transcendência de uma vida puramente materialista e mundana.

As provações, as diferenças entre as pessoas detectáveis no Mapa Astrológico ganham dimensão mais ampla, fornecendo significados, informando o estágio em que se encontram as energias, mostrando as sinapses usuais e possíveis mudanças a serem trabalhadas.

Nestes tempos de profunda transformação, assumir a própria identidade inclui situar-se também dentro do coletivo, saber-se parte do TUDO.