quinta-feira, 26 de setembro de 2013

O conhecimento nos Signos Cardinais - O AZUL ATÔMICO -


Na Cosmologia Energética, as energias atômicas são consideradas determinantes, pois, atraídas pelo clima que envolve a gestação do ser, vêm selar a relação entre o homem e o universo.

Relembrando uma das bases deste estudo, o ser humano é formado por 12 energias, divididas em 4 espíritos. Cada espírito é composto por três energias, a ativa (+), a passiva (-) e a atômica (representada por um pequeno triângulo).

Convencionalmente, o signo da pessoa é identificado pela energia atômica que entra no momento em que nasce. Trata-se da energia que estava sendo iluminada pelo sol naquele momento, que se junta à ativa e à passiva do mesmo elemento, formando um espírito. 

Prosseguindo com a descrição dessas energias em cada um dos quatro drivers do cérebro (identificados nas figuras abaixo com números romanos I, II, III e IV) em relação à memória ancestral simbolizada pelos vácuos (círculo externo com as 12 cores), este texto trata do CONHECIMENTO, representado pelo AZUL,  fator que destaca fortemente o grupo dos cardinais, que o trazem como ATÔMICO: Câncer, que traz o Azul atômico no driver I; Áries, Azul atômico no driver II; Capricórnio, Azul atômico no driver III; e Libra, Azul atômico no driver IV.


Estes signos marcam o início de cada estação e têm uma predisposição ativa, voltada ao externo, à solução de problemas. Iniciam as ações, impulsionam, são os mais trabalhadores.

O Azul, cor mental do ar, de vibração sutil e natureza investigativa, é o comandante que surge opondo-se ao tempo, como um juiz, questionando anarquicamente, abrangendo todo o espaço onde o ar se move. É o dono do fichário da cabeça - ao mesmo tempo a fonte do conhecimento e a relação que se desenvolve com ele, expressa através de atitudes, posturas. É o mais difícil de ser satisfeito, compreendido, manipulado.

Cancerianos (Celestes), têm o Azul no Driver I, no chakra umbilical.
Estando no quadrante do consciente íntimo, somente eles sabem a respeito dos aspectos relacionados a esta posição.
O comportamento doce e maternal 
caminha paralelo à frieza da razão, à lógica frente àquilo que registraram e codificaram como verdades.
O Azul no próprio vácuo potencializa o racional com o qual caminham com segurança, pois ele sustenta  as estratégias em seus movimentos inconscientes, ajudando-os a adaptar-se e sairem ilesos de situações difíceis. Estando o Azul, no sentido anti-horário, ligado ao vácuo vermelho, os cancerianos têm acessos de paixão em movimento retrógrado. Embora consigam controla-los através da capacidade mental, não estão imunes à ação do dissolvente vermelho, capaz de derreter parte do gelo e muitos conceitos.

Arianos (Dourados), trazem o Azul no Driver II, no chakra do terceiro olho. Este é o quadrante do inconsciente público, aspectos que os outros percebem e que determinam sua autoimagem. Estando entre dois vácuos primos e anárquicos, amarelo e prata, são frequentemente chamados à liderança, pois demonstram uma visão ampla e profunda, além da capacidade executiva. No entanto, o Azul se contrapõe ao tempo, instrumento desses dois companheiros de vácuo. Faz parar o tempo para julgar a situação, ver o que ainda falta. São Inteligentes, questionadores, procuram estar sempre bem informados e não aceitam idéias sem antes entender o motivo, o sentido. Dificilmente mudam de opinião e não aceitam respostas negativas. 

Capricornianos (Marrons), trazem o Azul no Driver III, no chakra
cardíaco, quadrante do consciente público, coisas que tanto eles quanto os 
demais sabem que existem. O Azul nesta posição, com
o reforço do primo preto no vácuo em sentido 
horário, o sentimento é objeto próprio a ser mantido sob controle. Com o vácuo violeta no sentido anti-horário, os sofrimentos (assuntos de sua conta) podem ficar por longo tempo inconfessos sob a ação lenta do dissolvente de água. Criam, dessa forma, uma máscara bem estruturada para não se exporem, assim podendo levar adiante os seus planos. São reservados em seus relacionamentos, dentro dos quais valorizam os aspectos intelectual e material. Essa experiência também os leva a uma expansão de consciência. 


Librianos (Azuis), trazem o Azul como guia no
                               

Driver IV, no chakra coronário. Estando no inconsciente íntimo, eles sentem os efeitos, porém não têm certeza de sua existência real. Disposto entre os vácuos rosa e verde (círculo externo de cores-fixo), seu prazer e sua nutrição estão atrelados a como interpretam racionalmente essas questões. São muito vaidosos e seletivos, amáveis, polidos, diplomáticos. Sabem mover-se em diferentes meios, porém, mantêm certo distanciamento para não perder o controle. Não costumam dar um passo antes de ter segurança do êxito. Preocupam-se com a própria imagem e com os relacionamentos, nos quais buscam brilho, afeto, justiça e perfeição. "Mão de ferro em luva de pelica" é uma expressão que os define bem.

Além do Azul, os Signos Cardinais trazem como atômicos Celeste, Dourado e Marrom, energias que entram, juntamente com outras, durante o processo de gestação: na concepção, aos 3 e aos 6 meses. Características comuns entre eles, bem como peculiaridades individuais podem ser reveladas no Mapa Cosmológico.





sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Vazamento de energia inter-universos pode revelar mundos paralelos

Experimentos recentes não confirmam e nem descartam a teoria dos multiversos.[Imagem: Peiris et al.]






Ninguém menos do que o Nobel de Física Frank Wilczek quer testar a existência de múltiplos universos, a famosa teoria dos multiversos.
Segundo Wilczek, tudo se resume ao fato de que a energia não é uma substância na mecânica quântica, que seria compartilhada entre os diversos universos, mas um "operador", algo que muda um estado físico para outro estado físico.
Isso significa que não se deve simplesmente somar as energias dos universos

Outra pergunta que nasce naturalmente
dessas teorias é:
 
existirão vidas nos outros universos?
[Imagem: MIT]
adicionando uma à outra, como se fossem números, mas tirando uma média ponderada, que irá sempre conservar a energia total.












Leia matéria completa!:
SITE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Vazamento de energia inter-universos pode revelar mundos paralelos. 04/09/2013. Online. Disponível em www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=mundos-paralelos. Capturado em 06/09/2013. 


quarta-feira, 4 de setembro de 2013

AMARELO ATÔMICO - O raciocínio nos Signos Mutáveis

Mercúrio-foto NASA

De acordo com a Cosmologia Energética, o ser humano é formado, durante a gestação, através da entrada de energias em grupos de três na concepção, aos 3 e aos 6 meses e no nascimento.

Cada grupo de três energias de um mesmo elemento formam um espírito. A energia correspondente ao signo iluminado pelo sol na data da entrada é a atômica, que se junta à ativa (+)  e à passiva (-).

As energias atômicas no Mapa Cosmológico são as mais determinantes dentro da perspectiva do homem como um ser cósmico.

O Amarelo aparece como atômico nos signos mutáveis: Virgem, Peixes, Gêmeos e Sagitário. Cada um traz o Amarelo atômico em um dos drivers  identificados com números romanos I, II, III e IV, como na ilustração abaixo.


O Amarelo é anárquico, o comandante, o mental dentre as energias do elemento terra. Também é dissolvente, resolve os problemas gerados entre a dicotomia ego-alter, matéria-espírito, Preto e Branco. É o que busca a compreensão dos fatos e cria a possibilidade de mudanças.

É manipulador do ar, junto com o Celeste. Isto significa que conseguem modificar a qualidade do ar, podendo levar a estados desde a extrema lucidez até a demência: o Amarelo através do pensamento e da transformação da imagem presente em verbo e o Celeste com o poder criativo.

De forma geral, os nascidos entre 23 de agosto e 22 de Setembro são Virginianos (Amarelos) e trazem o Amarelo como guia, em seu chakra coronário.
Com o Amarelo atômico no driver IV, quadrante do inconsciente íntimo (aspectos dos quais sente os efeitos, mas não tem certeza se existem), o virginiano sempre questiona por onde vai e, às vezes, perde-se no caminho. Demora a encontrar um lugar para ser. A princípio receptivo, tenta captar tudo, procedendo em seguida meticulosa análise e avaliação. Perfeccionista, não expressa suas opiniões antes de dominar o assunto. Ocupando os vácuos Rosa e Verde (círculo externo), busca o prazer que nutre e, embora enfatize o presente, tende a comprometer-se com o futuro e a matéria (Preto), pois pensa no fruto ao colocar a semente.


Geminianos (Brancos), nascidos, via de regra, entre 21 de maio e 21 de junho, trazem o Amarelo no Driver I, quadrante do consciente íntimo (aspectos que somente eles sabem que existem), localizado no chakra umbilical. Raciocinam de acordo com seus instintos, chegando a desenvolver uma moral própria.

Neste Driver, o Amarelo se encontra entre os vácuos Vermelho e Azul. O Vermelho confere ao geminiano uma natureza forte porém instável, agitada, que procura incessantemente um caminho pelo qual se apaixone. Não titubeia para mudar, trocar as coisas de lugar, seguir caminho. Pelo Azul, sempre falta algo para ser perfeito, então ele prossegue na busca. Conta com certa proteção divina, que alivia seus prejuízos na experimentação.


Piscianos (Pratas), de 19 de fevereiro a 20 de março, trazem o Amarelo no Driver II, quadrante do inconsciente público (aspectos que os outros percebem incorporam-se à percepção do indivíduo), localizado no chakra frontal.
Como o Amarelo ocupa o próprio vácuo, o Pisciano tem uma compreensão mais pura da realidade, diferente, em grande escala, dos demais.
Esta visão se apresenta como um caleidoscópio: diversas imagens ao mesmo tempo, formando mosaicos complexos, móveis e voláteis, que o fazem questionar se realmente viu, ou se foi um delírio. Aqui se potencializam as características do Amarelo: a força do verbo, o raciocínio analítico, a genialidade, propiciando o domínio das palavras e de idiomas. Ocupando também o vácuo Prata, reforça as tendências anárquicas, revolucionárias, idealistas. Agrega misticismo, espiritualidade, habilidades de estrategista que se evidenciam quando se dedica a uma causa maior, digna de sua profundidade e amplitude. Caso não a encontre, pode mostrar-se deslocado e confuso neste planeta.


Nos Sagitarianos (Vermelhos), de 23 de novembro a 22 de dezembro,
o Amarelo localiza-se no Driver III, quadrante do consciente público (aspectos que tanto a pessoa quanto os outros sabem que existem) e no chakra cardíaco.
Seus questionamentos giram em torno do amor: será que ama ou não?  Pela dúvida, ama impulsivamente, no momento. Se está longe dos olhos, está longe do coração. Tem grande necessidade de entender o sentido das coisas, é idealista, não admite injustiças e defende suas ideias e a verdade que conhece até o fim. Estando no vácuo Violeta, está mais aberto à possibilidade de sofrimento, que é capaz de superar analisando e compreendendo seus sentimentos. Não se entrega às fatalidades. Viajar, conhecer novos lugares, pessoas e suas histórias fazem-no sentir-se livre. Gosta de viver o hoje, da melhor e mais divertida forma possível.
O desespero de viver a vida próprio do Vermelho, em contraste com o Amarelo no vácuo Preto, faz com que tenha um descontrole no ato de conseguir os ítens relacionados à matéria.

Esses signos formam o grupo dos Mutáveis e têm como atômicos em seus chakras principais coronário, frontal, cardíaco e umbilical, o Amarelo, o Branco, o Prata e o Vermelho. Os signos Mutáveis, estando entre o começo e o fim das quatro estações, não lutam contra as situações, pois não têm compromisso com o fazer inicial, tampouco em matéria de estabilidade. Procuram descobrir novas maneiras de contornar obstáculos, alteram tudo à sua volta, na busca de uma espécie de evolução ou integração.

Apesar dessas características comuns, no Mapa Cosmológico calculado a partir da data de nascimento, encontra-se uma configuração única, de acordo com o posicionamento e os graus, retratando a individualidade de cada ser.