sábado, 2 de abril de 2011

RELÓGIOS - PARTE II

Os sábios ensinam que é possível visualizar o Cosmos nas pequenas coisas. Sinto-me segura em compartilhar esses conhecimentos recebidos, comprovados e ampliados através das minhas próprias experiências.

Na Cosmologia Energética, diversas informações são passadas de forma a facilitar a compreensão, já que, em sua essência, trata-se de uma complexidade bastante simples. Para demonstrar o movimento cósmico, utiliza-se de um instrumento cujo significado tornou-se universal através dos tempos: o RELÓGIO.

Nesta segunda parte (confira RELÓGIOS - PARTE I em postagem anterior), inicio com o modelo mais conhecido, acrescentando, na parte externa, a informação de quais são consideradas positivas e negativas, aqui representando, respectivamente, as qualidades masculinas e femininas, ou yang e yin, como se apresentam na natureza, sem qualquer juízo de valor:


A Magia Xamânica utiliza esse critério para promover curas e influir em determinadas situações. As horas + promovem o aumento, ativam;
as horas  -  diminuem, suavizam.

Observe que não estão qualificadas como + ou - as horas 3, 6, 9 e 12.






Em um mapa Astrológico, estes constituem pontos nevrálgicos da carta: Ascendente e Descendente, Meio do Céu e Nadir.








Na Cosmologia Energética, esses pontos correspondem às energias dissolventes, consideradas primas de Deus, e que possuem mais propriamente a virtude do livre arbítrio:  Amarelo (3), Rosa (6), Vermelho (9) e Violeta (12).

O Amarelo (3)  resolve conflitos ideológicos entre o Preto (1) e o Branco (2). O egoísmo e preocupação com o futuro do Preto frente ao altruísmo e ênfase no passado do Branco podem ser equilibrados através da ênfase no presente e da comunicação do Amarelo.

O Rosa (6)  resolve os conflitos relacionados ao prazer entre o Prata (4) e o Dourado (5). O excesso de autovalorização do Dourado em contraposição à procura por transcendência do Prata pode ser equilibrado através do Rosa, cuja sabedoria é adquirida através das experiências em sua busca pelo prazer.

O Vermelho (9) resolve os conflitos relacionados ao fogo entre o Verde (7) e o Celeste (8). Os desequilíbrios na alimentação do Verde em confronto com a criatividade e senso estético do Celeste pode ser resolvido através de ações entusiásticas do Vermelho.

O Violeta resolve os conflitos relacionados com a água entre o Azul (10) e o Marrom (11). O excesso de racionalismo do Azul  em confronto com o pragmatismo do Marrom pode ser solucionado com a profundidade e consciência do Violeta.

Portanto, as energias dissolventes são as que promovem o equilíbrio e por onde se ramificam as cores mentais, que vibram numa oitava acima. Exemplo: uma oitava acima do Verde seria o Verde limão. Porém, esses matizes dependem da individualidade de cada pessoa e como ela irá combinar as energias para chegar ao nível mental. O cinza é uma cor mental e esta pode ser resultado da combinação de Branco com Preto, mas também pode ser Branco com Prata. Essas diferenças irão se manifestar de forma perceptível aos mais atentos, ou sensíveis.

Na  Carta Cosmológica, o estudo dos dissolventes é fundamental, pois o cumprimento de  suas razões é mais premente do que para as outras energias.

Com esse mesmo relógio representando a parede protetora do cérebro e o inconsciente, as lembranças e experiências de vidas passadas, diferentes aspectos da vida humana podem ser representados:


Neste gráfico, estão representados os hemisférios cerebrais:

O hemisfério esquerdo entende,  identifica o que lhe corresponde instintiva e intuitivamente. Corresponde ao lado íntimo. Relaciona-se com as VOGAIS

O hemisfério direito corresponde ao lado público, precisa de uma linguagem para entender, necessita vivenciar. Relaciona-se às CONSOANTES.




O hemisfério direito concretiza o que já foi aceito no esquerdo.

O hemisfério superior representa o que é consciente no indivíduo.
O hemisfério inferior representa os desejos, o inconsciente, o que é censurado pela educação.

Driver I
Consciente Íntimo
Programado na fecundação, refere-se aos instintos, ao que move o indivíduo. Aquilo que o indivíduo sabe que é.

Driver II
Inconsciente Público
Instala-se ao 3º mes de gestação, tempo no qual define-se a sexualidade do indivíduo, de acordo com a relação dos pais. Indica como ele percebe as situações. Estando num driver inconsciente, sua percepção está ligada a aspectos que somente vem a conhecer através do que os outros percebem.

Driver III

Consciente Público
Instala-se ao 6º mes e define o fazer e o sentir, o tipo de profissão, aquilo que deverá partir de sua própria iniciativa. Neste campo, o indivíduo sabe que nada sabe. Refere-se aos sentimentos.

Driver IV

Inconsciente Íntimo
Instala-se no nascimento. Aqui, o indivíduo não sabe que sabe. É o que o guia, o seu leme, aquilo que irá ligar o Kundalini ao Divino.


No gráfico acima, considerando as energias selecionadas em cada quadro, verifica-se a relação do indivíduo com as 7 Realidades. 
(confira neste Blog mais sobre este tema  no post A CIDADE IDEAL - A MONTANHA - O INÍCIO, uma aplicação prática das 7 realidades).

JOGO DE PEDRAS, outro instrumento de autoconhecimento utilizado na Cosmologia Energética,  é basicamente desenvolvido sobre esses relógios, que permitem uma infinidade de combinações e insights sobre nós mesmos.


Amplie:
palestras do Mestre Juan sobre o tema: http://cosmologiaxamanica.blogspot.com