quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Fragilidade do nosso sentido de realidade

Esta máquina quântica aparentemente simples abre o caminho para que se discuta os limites da mecânica quântica e até mesmo o nosso próprio sentido do que é a realidade. [Imagem: O'Connel et al.]

Máquina quântica é escolhida a descoberta do ano pela Science: "Em última instância, a máquina quântica abre o caminho para que se discuta os limites da mecânica quântica e até mesmo o nosso próprio sentido do que é a realidade."

sábado, 4 de dezembro de 2010

A COZINHA 1 – exercitando a principal magia.



A primeira lição: fazer o pão - 2006
                                              2012

A MONTANHA - 3a. GERAÇÃO (confira neste link)
                          
    O ponto de reunião era a cozinha
   A cozinha existia ao redor do fogo
   Eram sete (ao menos deveriam ser)
   Número mágico associado ao verde. 
(do livro inacabado Os Pequenos Ciganos da Montanha, do MESTRE JUAN)



A primeira tarefa: aprender a preparar o que nutre o nosso corpo.

Talvez ainda não compreendêssemos a real importância desse ato. Como atores de uma peça teatral, atendíamos ao comando do nosso diretor. 

Os passos da dança, ele insistia em passar, através dos pressupostos transpostos do teatro para a vida que, no entanto, soavam como um código incompreensível para muitos de nós, cujo objetivo era simplesmente corresponder ao papel que nos tocava, sermos admirados, sermos amados, de onde surgiam os conflitos.


Disposição das Energias
num Aquariano
Embora cada um nasça com uma configuração determinada de energias nos chakras (veja disposição das energias nos demais signos no link Jogo de Pedras do Marrom), podemos comandá-las, fazer mudanças de acordo com as nossas ações, ou estado de espírito. 

Isso é ensinado para que saibamos nos harmonizar com o ambiente.

Na Cozinha 1, não se pode entrar com o centro (chakra umbilical que comanda o movimento) em Dourado, colocando a ênfase no eu; tampouco em Azul, enfatizando o conhecimento; ou em Marrom, enfatizando o trabalho; ou em Violeta, enfatizando o sofrimento. Qualquer dessas posturas está em desacordo com esse momento sagrado, portanto, cria problemas como, no mínimo, uma incômoda má digestão, em si próprio e/ou nos companheiros.

Para encarregar-se da Cozinha 1, primeiramente deve-se saber fazer o fogo, que rege esse espaço. O fogo se acende colocando no centro o Vermelho ou o Preto.

Na sequência, irá alternando no centro o Branco – sendo reverente, puro, limpo - e o Verde – cozinhando para alimentar a si e aos outros.

Nhá Chica
Acender uma vela à Nhá Chica  e fazer as preces coloca o Branco no chackra umbilical. Assim, cria-se o clima propício para iniciar os trabalhos.

Preparar o café, cortar o pão assado no dia anterior, passar manteiga ou geléia. Os aromas e o calor do fogo contagiam e fazem com que as pessoas experimentem o que as sustenta e também convivam com o que não é, através das ilusões.

Antes do SER, existem as ilusões do ser.

Para compor o almoço, ou o jantar, não mais do que doze elementos, contando o fogo e a água, para não ser indigesto. Arroz, feijão, sal, alho, cebola, verdura, legume, proteína animal; de sobremesa um pedaço de goiabada, onde entra goiaba e açúcar.  Essa refeição será deliciosa e nutritiva.

Ao tocar o sino, todos se assomam à Cozinha. Se estiver de boné, deve tirá-lo, para que o ORI – chakra coronário - fique livre, alinhado com o céu, aberto para receber o alimento espiritual, enquanto alimenta seu físico.

No final, cada um lava seu prato e sua caneca.  

Os responsáveis pela Cozinha ainda terão que lavar as panelas, fazer o pão, deixar tudo organizado para o dia seguinte.

Para o Verde, cozinhar é um prazer. Se quisermos encontrar um castigo para ele, será fazê-lo sentir-se inútil, deixá-lo fora da Cozinha.

Nessa tarefa, onde o ser humano se torna divino, é essencial contar com o auxílio do Branco. 

Como dizem os velhos, o Verde e o Branco manejam o fogo.


quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

RELÓGIOS - PARTE I

O universo tem regras que fogem à nossa compreensão. Os opostos se atraem, os semelhantes se atraem...  Essas contradições aparentes abrem a nossa mente para as múltiplas possibilidades, dentro das quais estamos sempre procurando encontrar algum padrão para nossa lógica tacanha.

Assim, com a concordância da elite, na antiguidade, e respaldo do inconsciente coletivo, ficou convencionado que, durante o ano, o Planeta Terra viaja através de um cinturão de constelações, como são vistas daqui (nos parênteses, a cor respectiva): Áries (Dourado), Touro (Verde), Gêmeos (Branco), Cancer (Celeste), Leão (Preto), Virgem (Amarelo), Libra (Azul), Escorpião (Violeta), Sagitário (Vermelho), Capricórnio (Marrom), Aquário (Rosa) e Peixes (Prata).
As 12 Energias
No sentido vertical, primos;
No sentido horizontal, irmãos.
De baixo para cima FOGO, TERRA, ÁGUA  e AR
 Calculando-se as configurações do universo através da janela terrestre no momento do nascimento de cada ser, considera-se latitude, longitude, posições das constelações e planetas e suas relações, os dias e as horas, que também são regidas pelas energias emanadas pelos planetas e luminares.

Para a Cosmologia Energética, essas energias ficam em volta da terra, em capas que as dividem em primos e, como que obedecendo a um gigantesco relógio, movem-se segundo os dias da semana e as horas, entram no Planeta e vão interagindo umas com as outras, massificando-se como irmãs, ou separando-se, numa verdadeira dança de partículas coloridas.
Tabela das Cores e as Horas elaborada por Vera Fernandes
(clique na figura para ampliar)

Um dos relógios utilizados divide o dia em quatro Campos: 1) Campo de Fogo, do nascer do sol até o meio dia; 2) Campo de Terra, do meio dia até o pôr do sol; 3) Campo de Água, do pôr do sol até a meia noite; 4) Campo de Ar, da meia noite até o nascer do sol do dia seguinte. Cada dia da semana corresponde a uma cor: Domingo é o Violeta, regente Lua; Segunda-Feira é o Amarelo, regente Mercúrio; Terça-Feira é o Celeste, regente Vênus; Quarta-Feira é o Dourado, regente Sol; Quinta-Feira o Vermelho, regente Marte; Sexta-Feira é o Verde, regente Júpiter; Sábado é o dia Rosa, regente Saturno. 

Algumas correspondências diferem daquelas utilizadas pela Astrologia, que segue o calendário modificado pelo clero por questões de conveniência. 

Relógio de Cores pintado em pedra São Tomé
Efemérides
Para encontrar a hora de cada Energia, que varia de acordo com os meses do ano, existem as Efemérides, de onde extraimos os dados necessários levando em conta as coordenadas geográficas. Nesse livro constam, mês a mês, os movimentos dos planetas e luminares, dispostos em graus de 0 a 29, observando-se do meridiano de Greenwich, localizado no Observatório Real, Londres-UK.


Foi definido por acordo internacional, em 1884, como o primeiro meridiano, dividindo o Globo em Oriente e Ocidente, servindo de referência para calcular distâncias em longitudes e estabelecer os fusos horários.
Na Montanha de São Thomé das Letras, marcamos o horário do nascer e do pôr do sol, diretamente, ao assistirmos a esse espetáculo, para calcular as mudanças das horas naquele ponto exato da Terra. E observamos as cores do céu, para nos certificarmos do dia da semana. Ver para crer, tônica de São Tomé que, dizem, era virginiano.

Mas, também, somos livres para repetir as palavras de um sábio pisciano: "Se vemos, não precisamos crer". E nos guiar por essa premissa.


Ou ainda, parar para pensar, com nossa própria descrença, dispondo-nos a descobrir, ou não: Será que nossos olhos veem a realidade? Serão eles que  criam a realidade que vemos?

Nos próximos posts, poderei detalhar mais como são utilizados esses instrumentos e apresentar outros.

Amplie um pouco mais nos links abaixo:
Explicação do Relógio de 24 horas pela Geometria

Ressonância Schumann (confira também os links referidos no rodapé deste texto - a discussão é ampla)