quarta-feira, 27 de novembro de 2013

A MAR



Amar é ser cativo, dizem uns.

Amar é render-se, dizem outros.

Sentindo dentro de si uma vibração que se expande e já não cabe, ela procura uma palavra que expresse a poesia que pulsa dentro de si. Busca definir o indefinível à sua maneira, a partir de sua própria experiência.

Em sua bagagem das vidas vividas e não vividas, encontra as pilhas de papéis que outrora a asfixiaram em seu estado febril: regras, teorias, modelos, mandamentos, leis... Em seu poema, talvez possam ser sintetizados em apenas uma palavra: crosta.

Pensa em respeito... Como tantas outras, é também corruptível ao entrar na lista de exigências. Traz uma imponência.

Muitas dançam ao seu redor, insinuam-se para serem escolhidas. Intui que precisa estar leve para protagonizar o evento que se acerca - tenta descarta-las.

Estranhamente, associa amar ao mar. Investiga se é apenas pela rima. Em seu estudo de sons, viu que cada um provoca um padrão específico. Os sons se despregam das letras, formando imagens... Para ela, a imagem de nadar em alto mar persiste como um desafio, a prova final.

Pela tela mágica, continua a observar o mar, a frequência das ondas. Seu impulso de saltar em águas profundas retido pelo pesadelo de afundar.

Precisa vencer esse medo do desconhecido!

Os pensamentos pesam.





terça-feira, 5 de novembro de 2013

Fóton e elétron unem matéria e energia dançando valsa

Quando fótons e elétrons ficam inteiramente conectados,
o que se vê é um estado que é periódico tanto no tempo quanto no espaço.
[Imagem: Gedik Group/MIT]
Um estado até agora desconhecido de acoplamento entre fótons e elétrons acaba de ser documentado na superfície de um cristal.

Fótons são os elementos básicos da luz, enquanto os elétrons são os representantes da matéria.

O estado de acoplamento matéria-energia foi observado na superfície de um isolante topológico, um tipo de cristal que transmite eletricidade apenas na sua superfície, mas não em seu interior.

União entre matéria e luz

...matéria e luz se entrelaçaram, dançando uma valsa que sela uma união entre a energia pura da luz e a matéria sólida.

Ao ficarem inteiramente "conectados" - tudo o que acontece ao fóton, imediatamente afeta o elétron, e vice-versa - o que se vê é um estado que é periódico tanto no tempo quanto no espaço, uma "dança" muito precisa.

E os pares dançantes na superfície do cristal nem mesmo são iguais.

Leia artigo completo

SITE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Fóton e elétron unem matéria e energia dançando valsa. 04/11/2013. Online. Disponível em www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=foton-eletron-unem-materia-energia-dancando-valsa. Capturado em 05/11/2013. 

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Exoplaneta de lava derrete teorias astronômicas

O exoplaneta Kepler-78b tem uma densidade semelhante à da Terra,
o que sugere uma composição também semelhante, rica em ferro.
[Imagem: David A. Aguilar (CfA)]
Nada como uma boa observação para ajudar a melhorar as teorias.

O exoplaneta Kepler-78b é um planeta que, pelas teorias atuais, não deveria existir.

Este escaldante mundo de lava orbita sua estrela a cada oito horas e meia, a uma distância de menos de um 1,6 milhão de quilômetros - uma das órbitas mais apertadas que se conhece.

De acordo com as teorias atuais de formação dos planetas, ele não poderia ter-se formado tão perto da sua estrela, nem poderia ter-se formado mais longe e mudado para lá porque simplesmente teria se chocado com a estrela.

Mas o Kepler-78b é interessante não apenas por desafiar as teorias, mas também por ser o primeiro exoplaneta descoberto que tem o tamanho da Terra e uma densidade semelhante à da Terra.

Leia matéria completa! 
SITE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Exoplaneta de lava derrete teorias astronômicas. 31/10/2013. Online. Disponível em www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=kepler-78b-exoplaneta-superquente-derrete-teorias. Capturado em 01/11/2013.