domingo, 30 de dezembro de 2012

UM LUGAR PARA SER



Para a Cosmologia Energética, cada planeta expele um sopro vital. O homem, no planeta Terra, recebe doze sopros, neste  estudo chamados energias, traduzidas por cores: uma de cada planeta do sistema, incluindo a própria Terra, uma de cada Luminar - Sol e Lua, e uma do Elno.


ELEMENTO
   COR
SIGNO/REGÊNCIA
ASPECTOS RELACIONADOS
FOGO

Vermelho
Sagitário
Marte
ação, ímpeto, sexualidade
Preto
Leão
Plutão
matéria, físico, dinheiro, valores
Dourado
Áries
Sol
essência, diferencial, alvo
TERRA
Amarelo
Virgem
Amarelo
comunicação, diplomacia, ideologia
Verde
Touro
Júpiter
nutrição física/mental/espiritual
Marrom
Capricórnio
Terra
paternidade, normas, hierarquia, espaço
ÁGUA
Prata
Peixes
Netuno
movimento, estratégia, sensitividade
Celeste
Cancer
Vênus
maternidade, criação, proteção, estética
Violeta
Escorpião
Lua
sofrimento, transformação, consciência
AR
Branco
Gêmeos
Urano
devoção, tradição, memória, família
Rosa
Aquário
Saturno
prazer, crianças, espontaneidade
Azul
Libra
Elno
razão, conhecimento universal
Obs.: algumas regências diferem daquelas consideradas pela Astrologia

Cabe aqui uma explicação sobre o Elno, que corresponde ao Azul, o qual não consta no gráfico, tampouco nas Efemérides. Trata-se de um planeta peregrino, semelhante a um cometa ou uma bexiga, sem conteúdo, que vai se preenchendo de acordo com o que apreende em seu trajeto. Segundo os índios, é um sugador de erros. Como não era visível antes de 1960, para cálculos de nascidos antes desse ano utiliza-se posições do Sol e da Lua (de dia, o Elno Azul está oposto à Lua e à noite oposto ao Sol). Após esse ano (1960), passou-se a adotar a posição de Quíron, uma lua de Elno.

A pedra que hoje ocupa o vácuo da Terra (Marrom) vem, através dos tempos, saltando nos vácuos desde Plutão. Veja palestra do Mestre Juan Uviedo no post INTRAS, EXTRAS E A EVOLUÇÃO DOS PLANETAS.

O terráqueo carrega neste vácuo a exigência de encontrar um lugar para ser. Acaba de passar pelo vácuo de Marte (Vermelho), o planeta da guerra, trazendo ainda a belicosidade intrínseca. Mesmo distante na memória, traz uma familiaridade com os temas expansivos de Júpiter (Verde), o prazer de Saturno (Rosa), a religiosidade de Urano (Branco), a sensitividade de Netuno (Prata), a representação da matéria de Plutão (Preto).

Ele conhece até certo ponto os elementos que o compõem, porém não em sua totalidade, pois ainda não passou pelos vácuos de Vênus, Mercúrio, Sol e Elno. Do amor criativo de Vênus (Celeste) compreende parcialmente a maternidade, a arte. Sobre a ideologia de Mercúrio (Amarelo), muito se fala, mas somente pode ser conhecida em situações extremas. A grande luz do ser é um sonho longínquo  do qual apenas sente os reflexos espelhados do Sol (Dourado). E a sabedoria de Elno (Azul), o movimento infinito, apresenta-se numa sacola impalpável de erros que se agiganta.

Encontrar um lugar para ser. Tarefa que exige o trabalho com as doze energias, neste cenário diversificado, altamente propício à experimentação.