sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

O OLHO DO DRAGÃO - Amarelo Desespero

Campo de Girassóis
Pintura com a boca, de Rose Mary Orth
Já estava previsto.

Em suas instruções, Mestre Juan dizia aproximar-se o tempo em que Mercúrio, assim como Vulcano outrora, será devorado pelo Sol, provocando a mudança dos planetas nos vácuos. A pedra que representa o planeta Terra irá ao vácuo de Vênus, Marte rolará para o vácuo que hoje é da Terra.

Naqueles dias de aprendizado, na Montanha, o Amarelo (Mercúrio) já mostrava as suas características peculiares, através das quais, desde a antiguidade, tem sido relacionado à lucidez e ao seu extremo oposto, a loucura.

Entre esses extremos, o equilíbrio sempre correu sobre tênue linha, porém, pareciam distantes os dias em que o discernimento seria prejudicado ao ponto de promover o quadro generalizado de insensatez, incompreensão, corrupção das palavras e atos presente na atualidade.

Terá a raça humana acelerado o processo? Ou ocorre conforme estava escrito?

Agarrar-se a conceitos, a anseios inseridos nos sentimentos e pensamentos, em pleno movimento de desintegração, gera conflitos frente aos alertas internos.

O furacão aí está. Resta abrigar-nos no olho do dragão.