domingo, 23 de março de 2014

MEU ALTAR

[Imagem: ESA/HFI/LFI]

Os apoios de muitas vidas formam um conjunto diversificado.

Perplexidade é o primeiro sentimento a me invadir ao observar os elementos de minha devoção. Comparo-os entre si, encontro a linha mestra comum, independente do tempo e do espaço.

Apoiada nos velhos e novos estudos, avanço entre vácuos, retas, curvas, reentrâncias do meu universo interior. Descubro particularidades, semelhanças, mecanismos para mover, produzir sons...

Esquema parcial de emissão de voz

Reconheço o engenho do Criador nos equipamentos que trago. Se não atinjo sua expressão máxima, é devido à minha própria ignorância.

Cérebro, essencial no caminho do despertar. Coração também, pois, sem amor, sem compaixão, a razão pode ser destrutiva, tanto quanto o emocionalismo sem razão.

O corpo mental é o carro chefe da consciência, porém, são as experiências com os sentimentos é que irão dar o volume do canto dos anjos, da forma como se consegue com o apoio e a força do diafragma enviando o ar ao palato.

Assim, vou construindo o meu Altar. Misturo terras e céus, buscando o meu tom.