sexta-feira, 25 de maio de 2012

O ANJO APRENDIZ - Lição 5 - Novas Concepções



Passam-se dias... anos talvez?!...

O anjo não sabe. Parece haver um restringimento em seu cérebro. Olha para o céu, sequer distingue a estrela de onde veio.

Desconcerta-se.

Esforça-se: seria aquela mais brilhante a leste?
Não, não se lembra. Continua olhando por alguns instantes, um sentimento de nostalgia invadindo o peito, sorrateiramente.

Situações novas que o tiram do estado contemplativo ao qual estava habituado tornam-se cada vez mais frequentes. As tarefas já avançam no restante da noite e na madrugada, de forma intermitente.

O desafio é implantar novas concepções a partir da necessidade vislumbrada por seus novos-velhos amigos: os tempos exigem uma nova educação, uma nova cidade.


Há muito o que fazer. Muitas portas para abrir.
Nas mãos, enormes molhos de chaves, cujo tilintar produz em sua mente imagens de grossas correntes.
Afasta os devaneios que tomam o lugar de seus pensamentos.

Não há tempo para devaneios, tampouco para pensamentos.

Lembranças esparsas de como fazer são imediatamente descartadas.

É preciso prestar atenção, ouvir os anseios das crianças, do povo, para adequar o projeto.
Usar todo o aparato sensorial do corpo físico.
Isento de idéias prévias.
Isento de programações baseadas no ontem ou no amanhã fictício.

Viver hoje.
Atento.
Presente.

Estado contemplativo, sim, mas novo.
Nova forma, novos conceitos.