quinta-feira, 17 de maio de 2012

O ANJO APRENDIZ - Lição 4 - Micuins




Como que atado por fios invisíveis, o anjo fica.

Adere às tarefas, suficientes para preencher todo o seu dia e parte da noite.

Ainda não se sente familiarizado com as próprias manifestações orgânicas - os gostos, os cheiros humanos.

Tampouco com as preferências e modos de agir dos demais, cada qual diferente de si e entre si. O que parece bom para ele, nem todos apreciam e vice-versa.

O que pulveriza seus pensamentos agora o enlouquece. Pontinhos pretos, minúsculos, invadem seu corpo. Alguns se movem furtivamente, procurando esconderijo, outros parecem mergulhar profundamente.

Tenta livrar-se, mas eles se multiplicam. A pele alva e tenra servida como um banquete.

Pela primeira vez, percebe que não consegue vencer sozinho a batalha. Pede ajuda.

— A urina dos cavalos, em contato com determinadas plantas, faz proliferar os micuins — ensinam os companheiros. Micuins, micro insetos similares ao carrapato. Para combate-los, somente mergulhando toda a roupa e banhando-se em água quente. Os remanescentes, tira-se com álcool e manualmente.

Encontra-se em desespero, mais uma situação nova.

Não raciocina, outra situação nova.

Precisa que alguém lhe tire micuins das costas, também inédito.

Rende-se.

Na mente, apenas réstias de alho, adagas de prata e crucifixos.