terça-feira, 15 de maio de 2012

O ANJO APRENDIZ - Lição 3 - Tortas Fritas

Foto de Erich Sattelmayer


Um corpo. Denso. Palpável.

O anjo começa a se dar conta de que é preciso apoiar o peso no solo primeiro num pé, depois passa-lo para o outro, sucessivamente. Aquele sistema de lançar-se, simplesmente, pode ser catastrófico.

Os pensamentos se dispersam frente ao convite para uma nova aventura:
— Vamos até a Montanha? Lá tem pão!

Caminho íngreme, passando por pedras de todas as formas e tamanhos.
— Esta é do vulcão, diz a criança, mostrando uma que parece lava derretida petrificada.

Ele olha em volta, procurando sinais antigos. Sente cheiro de água salgada. Vê fósseis. Longa caminhada, passo a passo, elevando-se. As crianças não se cansam.

Ao fundo, Matilde, Seba, Flavita e Juan
Chegam a uma espécie de grande acampamento e gritam a senha:
— Senhor Juan, tem pão?

Uma voz forte acolhe:
— Olla! Adelante!


E, ao anjo:
—  Por Diós, te demoraste un montón! Anda, vamos hacer tortas fritas hoy. La harina esta nel container.

Misturar a farinha com um pouco de água, amassar, colocar "la sal", amassar mais. Separar em pequenas porções...

Alguns povos consideram o tempero apenas um objeto a mais. Outros, colocam gênero, atribuindo-lhe proporções humanas, divinas. Masculino, Feminino. O anjo envereda pelo caminho infinito das questões, como de costume.

A criança o chama: — Como posso esticar?

Num reflexo, o anjo explica, recordando:  — Você pega o pedaço de massa com as mãos, vai esticando de dentro para fora, com cuidado. Os dedos devem correr leves, mas firmes, pela massa. Aí faz um furo no centro, que é para fritar por igual.

Todos se acercam à cozinha improvisada, atraídos pelo cheiro familiar. As tortas fritas já prontas.

Com dulce de leche, a festa está completa.